Go, and catch a falling star

As pessoas dizem “vai lá assistir Stardust – O Mistério da Estrela, cê vai gostar!” e Titia Batata responde “eu vou, assim que sair em dvd!”. Daí, enquanto isso pensei em ler o livro – nem tanto para comparar com o filme mas porque, bom, eu gosto de ler, num sabe? E eu gosto de Neil Gaiman, o autor.

Logo na introdução eu *tenho* que parar e comentar com alguém: o poema que inicia Stardust é o mesmo que serve de base para Howl’s Moving Castle da Diana Wynne Jones!

Go, and catch a falling star,
Get with child a mandrake root,
Tell me where all past years are,
Or who cleft the Devil’s foot,
Teach me to hear mermaids singing,
Or to keep off envy’s stinging,
And find
What wind
Serves to advance an honest mind.
If thou be’st born to strange sights,
Things invisible to see,
Ride ten thousand days and nights,
Till age snow white hairs on thee;
Thou, when thou return’st, wilt tell me
All strange wonders that befell thee,
And swear
No where
Lives a woman true, and fair.
If thou find’st one, let me know,
Such a pilgrimage were sweet;
Yet do not, I would not go,
Though at next door we might meet:
Though she were true, when you met her,
And last, till you write your letter,
Yet she
Will be
False, ere I come, to two or three.

Continue lendo

HP & OdF

Omelete: “Toby Jones, o ator que deu voz ao elfo doméstico Dobby, revelou em uma entrevista à MTV que o personagem não vai aparecer no quinto filme da série.”

Excluir as cenas de quadribol eu compreendo, não influenciariam taaanto assim o andamento do filme adaptado dum calhamaço de mais de 700 páginas. E no filme anterior a cena em que Dobby resolve uma das provas do torneio, segundo o livro, foi contornada no filme também sem prejuízo. Mas, sei lá… tira daqui, contorna dali, remodela acolá e será que ainda é compreensível [e interessante] pra quem não leu os livros?

Dúvida cruel-él-él

Não assisti da primeira vez, não estou em casa agora que reprisam, mas vi nas propagandas “Pássaros Feridos”. Um padre, uma garotinha, uma mocinha, uma senhôura: tirando o padre, que nem sou tão desligada assim, as outras três são a mesma personagem em épocas diferentes da vida ou são personagens diferentes?

Se são a mesma personagem: Santo Botox, Batman.

Sexta tecnocientífica atrasada

Estadão: “Um atlas supostamente consultado por Cristóvão Colombo em sua primeira viagem à América será leiloado na próxima semana na Sotheby´s de Londres por um preço inicial de 1 milhão de libras (1,5 milhão de euros).”

Tão pop quanto, e muito mais barato, tem:

Terra: ” As grandes calcinhas usadas pela atriz Renée Zellweger durante a filmagem de O Diário de Bridget Jones serão leiloadas em breve na Internet com fins beneficentes.”

Elas também apareceram no Limite da razão [que só fui assistir no fim de semana passado, véspera de eleição].

BBC: “Cientistas noruegueses descobriram dezenas de fósseis de répteis marinhos gigantes, que habitavam os mares na época dos dinossauros, em um arquipélago no Ártico.”

[Nem] Tanto ao mar, [nem] tanto à terra:

MSN: “Pesquisadores suíços descobriram na região central da Síria vestígios de um camelo gigante, de uma espécie até então desconhecida que viveu há 100 mil anos.”

Antepassado dos atuais, de [reles] dez mil anos. Uns bebês, praticamente.

NYT: “Entre os planetas encontrados ao direcionar o Hubble em uma parte do universo muito além da nossa galáxia, na direção da constelação de Sagitário, pelo menos cinco deles foram descobertos em menos de um dia.”

Para chegar até eles, uma dia teremos:

Fapesp: “Pela primeira vez, cientistas conseguiram passar informação quântica entre luz e matéria. O teletransporte inédito entre dois objetos de naturezas diferentes consistiu na transferência do estado quântico de um pulso luminoso para um conjunto de átomos. Ou seja, da luz fez-se matéria.”

E o Verbo fez-se Luz.

G1: “Como os pica-paus podem não ter dor de cabeça depois de passarem um dia todo bicando troncos de árvores? Qual é o critério que leva um besouro a escolher estrume para comer na hora do almoço?”

Na quarta-feira choveu tanto besouro e sapo, mas tanto, que pensei que Pedra Lascada estivesse sendo castigada com as Sete Pragas do Egito. Mas foi uma esperança vã, claro.

O que e o porquê

Eu sabia dizer que “ele tinha pegado a bolsa” é certo e “ele tinha pego a bolsa” não, mas não sabia dizer o motivo. Agora sei.

[E este tema sempre me faz lembrar da primeira-dama que disse no ar que "não tinha falo" em vez de "não tinha falado"... Se bem que, tecnicamente, ela tava certa: decerto que não tem um falo, mesmo. O do marido não conta.]